sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Maria Fulô (Ensaio) Milonga para as missões


Fom, foron fom fom


Zé Davi um cachaceiro,
Desses de pé de balcão
Resolveu ser sanfoneiro
Lá na nossa região
Conjunto chico vida, pegou fama no sertão
No lugar onde passava,
De tão ruim que ele tocava
Servia de mangação

Fom, foron fom fom foron fom fom
Foron fom fom,
foron fom fom
A poeira levantando e os cabras bêbo gritando
Dizendo ô conjunto bom

O fole velho furado,
Fazia fonrom fonrom
Um triângulo enferrujado,
E o pandeiro sem ter som
O povo sapateando,
Mas ninguém ouvia o tom
A poeira levantando,
E os cabras bebo gritando
Dizendo ô conjunto bom

Tocava de olho fechado,
Mas a música não saia
O triângulo era um arame,
E a pancada não tinia
O zabumba sem compasso,
O ritmo ninguém ouvia
Pois o couro era rasgado,
E o povo agarrado
Sem saber pra donde ia

terça-feira, 24 de abril de 2018

O Fole Roncou






O fole roncou no alto da serra
Cabroeira da minha terra
Subiu a ladeira e foi brincar

O Zé Buraco, 
Pé-de-Foice, 
Chico Manco
Peba Macho, 
Bode Branco

Todo mundo foi brincar

Maria Doida, 
Margarida 
Florisbela

Muito triste na janela, não dançou
Não quis entrar

Naquela noite me grudei com Juventina
E o suspiro da menina era de arrepiar
Baião bonito tão gostoso e alcoviteiro
Que apagou o candeeiro pro forró se animar

Naquela noite eu fugi com Juventina
Quem mandou a concertina
Meu juízo revirar
Eu sei que morro de bala de carabina
Mas o amor da Juventina me
Dá forças pra brigar

Composição: Luis Gonzaga / Nelson Valença

domingo, 4 de fevereiro de 2018

O Andarilho

 
Luiz Gonzaga

Caí do céu por descuido, se tenho pai, num sei não
Venho de longe seu moço, lugar chamado sertão
Vivo sozinho no mundo, zombei da sede, zombei
Cortei com minha peixeira, todo mal que encontrei

Fui caminhando, enfrentando as terras que o sol secou
Até chegar a cidade dos homens que Deus olhou
Que o Santo Padre perdoe a triste comparação
Melhor viver no cangaço que a tal civilização

Brinquei com o mal, brinquei
Sorrí quando matei
Eu vím pra ser melhor
Cheguei aqui, chorei 

Os Dez Mandamentos do Amor






Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer

Primeiro, tudo começa com a paquera
O seu olhar bem dentro do olhar dela
E com jeitinho lhe tire para dançar
Dance macio pra ela se aconchegar
Segundo, um papo para derrubar avião
Suavemente já pegando sua mão

Terceiro é um cheiro pra sentir o seu perfume
Olhando as outras pra ela sentir ciúmes
O quarto é brincar no escurinho
Ser o lobo mau e ela o chapeuzinho
O quinto tem que ser bem safadinho

Preste atenção agora ao sexto mandamento
Ela não vai te esquecer um só momento
Repita a dose se sentir que ela gostou
Na hora h, lhe chame de meu amor

Sétimo toque é lhe falar de paixão
Falar somente das coisas do coração
Oitavo mandamento, diz para jurar
Lhe ser fiel até a morte lhe levar
No nono você diz que vai voltar
Diz que amanhã vai telefonar
E o décimo
Deixa ela esperar

Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer

Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer