terça-feira, 24 de abril de 2018

O Fole Roncou






O fole roncou no alto da serra
Cabroeira da minha terra
Subiu a ladeira e foi brincar

O Zé Buraco, 
Pé-de-Foice, 
Chico Manco
Peba Macho, 
Bode Branco

Todo mundo foi brincar

Maria Doida, 
Margarida 
Florisbela

Muito triste na janela, não dançou
Não quis entrar

Naquela noite me grudei com Juventina
E o suspiro da menina era de arrepiar
Baião bonito tão gostoso e alcoviteiro
Que apagou o candeeiro pro forró se animar

Naquela noite eu fugi com Juventina
Quem mandou a concertina
Meu juízo revirar
Eu sei que morro de bala de carabina
Mas o amor da Juventina me
Dá forças pra brigar

Composição: Luis Gonzaga / Nelson Valença

domingo, 4 de fevereiro de 2018

O Andarilho

 
Luiz Gonzaga

Caí do céu por descuido, se tenho pai, num sei não
Venho de longe seu moço, lugar chamado sertão
Vivo sozinho no mundo, zombei da sede, zombei
Cortei com minha peixeira, todo mal que encontrei

Fui caminhando, enfrentando as terras que o sol secou
Até chegar a cidade dos homens que Deus olhou
Que o Santo Padre perdoe a triste comparação
Melhor viver no cangaço que a tal civilização

Brinquei com o mal, brinquei
Sorrí quando matei
Eu vím pra ser melhor
Cheguei aqui, chorei 

Os Dez Mandamentos do Amor






Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer

Primeiro, tudo começa com a paquera
O seu olhar bem dentro do olhar dela
E com jeitinho lhe tire para dançar
Dance macio pra ela se aconchegar
Segundo, um papo para derrubar avião
Suavemente já pegando sua mão

Terceiro é um cheiro pra sentir o seu perfume
Olhando as outras pra ela sentir ciúmes
O quarto é brincar no escurinho
Ser o lobo mau e ela o chapeuzinho
O quinto tem que ser bem safadinho

Preste atenção agora ao sexto mandamento
Ela não vai te esquecer um só momento
Repita a dose se sentir que ela gostou
Na hora h, lhe chame de meu amor

Sétimo toque é lhe falar de paixão
Falar somente das coisas do coração
Oitavo mandamento, diz para jurar
Lhe ser fiel até a morte lhe levar
No nono você diz que vai voltar
Diz que amanhã vai telefonar
E o décimo
Deixa ela esperar

Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer

Os dez mandamentos do amor
Para conquistar uma mulher
Tem que ter carinho, tem que ter jeitinho
Tem que dar aquilo que ela quer

Severino Januário - Xaxadinho das Alagoas




Baião de Dois da Minha Casa


Na minha casa costumo fazer baião de dois da seguinte maneira e o pessoal adora.

02 Xícaras de feijão cozido e temperado com óleo, alho e coentro.
01 Linguiça Calabresa 
02 Copos Americano de Arroz (uso o arroz parboilizado)
Sal a gosto
Alho e Cebola picados.
Páprica Picante ou não Picante (Fica a critério)
Açafrão da Terra (uma pitada)

MODO DE PREPARO

Pegue uma panela de pressão, coloque 2 fios de óleo/azeite ou banha, adicione a linguiça calabresa em rodelas(finas) e as coloque para fritar até pegar cor.
Adicione os 02 copos de Arroz (cru) e refogue com os demais temperos: Alho, Cebola,Páprica, Açafrão e Sal a gosto.
Depois de refogá-los, acrescente os 02 copos de feijão cozido e temperado e acrescente 90 ml de água na panela e coloque para cozinhar na pressão por 7 minutos (de pressão) depois desligue o fogo e deixe sair a pressão naturalmente. Após sair a pressão, abra a panela e acrescente fatias de queijo (da sua preferência) e deixe mais 02 minutos na pressão e já desligue o fogo.
Pronto...Você terá uma deliciosa refeição em menos de 12 minutos.

Para temperar o feijão uso 03 dentes de alho grande, amassados e refogo até ficar bem dourados, acrescento o feijão em seguida uma boa quantidade de folhas de coentro.
Deixo pegar o tempero, desligo o fogo e reservo.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Orgulho de Ser

Bráulio Bessa



Sou o gibão do vaqueiro,
sou cuscuz sou rapadura
Sou vida difícil e dura
Sou nordeste brasileiro
Sou cantador violeiro,
sou alegria ao chover
Sou doutor sem saber ler,
sou rico sem ser granfino
Quanto mais sou nordestino, mais tenho orgulho de ser

Da minha cabeça chata,
do meu sotaque arrastado
Do nosso solo rachado,
dessa gente maltratada
Quase sempre injustiçada,
acostumada a sofrer
Mais mesmo nesse padecer
eu sou feliz desde menino
Quanto mais sou nordestino, mais orgulho tenho de ser

Terra de cultura viva,
Chico Anísio, Gonzagão
de Renato Aragão
Ariano e patativa.
Gente boa, criativa
Isso só me dá prazer
e hoje mais uma vez eu quero dizer
Muito obrigado ao destino,
quanto mais sou nordestino, mais tenho orgulho de ser