quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O forró

Não estou falando de forró de pé de serra e sim do forró lá dentro da roça, ou dentro do mato, e que já tive o privilegio de conhecer.
Geralmente estas festas aconteciam para animar os casamentos, aniversários, batizados, noivados etc.
Fazia-se uma cobertura com o nome de “latada”( latada no dicionário é uma cobertura de folhas de coqueiro e ripas, improvisada para abrigar pessoas) o piso era de terra mesmo, batida para que as pessoas tivesssem condições de dançar.
E de hora em hora uma pessoa era encarregada de jogar água na terra batida para que a poeira baixasse e a festa continuasse.
A iluminação ou era a base de geradores de energia ou através de lampião de gaz.
E para animar a festa, o personagem principal era o sanfoneiro acompanhado do zabumbeiro e o tocador de triangulo.
A festa não tinha hora pra começar, nem para terminar.

Forró número um
Luiz Gonzaga





3 comentários:

Lu Cidreira disse...

E está chegando os dias que fará do Forro uma alegria só. Os festejos juninos.
Abraço

Maria de Lourdes disse...

Verdade! E dançar forró é bom demais! Obrigada pelo comentário!

Maurício Silva disse...

Luizão o sanfoneiro que abriu as portas do nordeste para o mundo e fez do forro uma dança antes só nordestia, dança nacional. Parabéns pela lembrança!